Vegas, Baby! | Destination Wedding

21 de nov de 2013

às 08:30

Hoje é dia de contar uma história das boas!
É a história muito legal  do Destination Wedding da Ge e do Ale, que aconteceu em Las Vegas.
Não vou estragar tudo e adiantar pra vocês como tudo aconteceu, deixo com vocês a palavra da noiva, que conta todos os detalhes dessa viagem muito especial:



A IDÉIA
Ia começar dizendo que nunca pensei que casaria em Las Vegas, mas isso não é verdade... O fato é que tenho certeza de que todo mundo um dia, assim como eu, nem que por cinco minutos, já pensou em casar em Las Vegas, nem que seja assistindo “Se beber não case”. Então, como sou uma pessoa normal, um dia, remotamente isso passou pela minha cabeça, mas, que era possível de verdade e que aconteceria, realmente nunca pensei! Alessandro Zardo, meu marido, que carinhosamente chamo de Ale a quem vou me referir nas próximas linhas desta forma, acho que nunca pensou mesmo, mas como ele é demais, aceitou a proposta logo de cara e mais, tomou a frente da parte burocrática como ninguém!

O COMEÇO
Mas, vamos do começo... Em janeiro deste ano, estava almoçando com minha superintendente, minha chefe direta, parceira de trabalho e amiga, quando fui convidada por ela pela diretoria da administração do shopping para qual presto serviços, para um congresso internacional na minha área de atuação, que é shopping center, que acontece anualmente em Las Vegas. Como Ale e eu já estávamos nos organizando para uma cerimônia de casamento no mês de abril deste ano e em setembro do ano passado havíamos nos mudado, fomos morar juntos, logo declinei do convite e agradeci, pois teria um investimento financeiro que com estes gastos não seria possível. Para minha surpresa, Haidée, minha chefe em questão, a responsável por esta loucura toda, levantou a cabeça e me perguntou: “- Porque vocês não casam em Las Vegas?” Claro! É isso. E porque não? Liguei no mesmo instante para o Ale, que mesmo surpreso concordou na hora. Como ia um grupo do trabalho, para o congresso, já tínhamos alguns convidados garantidos. Agora era descobrir meios de viabilizar e avisar a família, os amigos e os padrinhos.

COMO FAZER
Na mesma tarde o Ale já tinha descoberto vários blogs de depoimentos de pessoas que casaram em Las Vegas e dividiam suas experiências na internet. A melhor referência, as melhores informações que tivemos e a que seguimos do início ao fim, foi “De Elvis à papelada: Tudo sobre casar em Vegas (dica da Niedja)” -

Em um primeiro momento pensamos que deveria ser exatamente como é nos filmes, daquele jeito meio comédia mesmo, depois avaliando tudo, escolhendo a capela e pensando bem, decidimos que tinha que ser lindo, porque era para o resto da vida e ficaria, no mínimo, registrado nas fotos... Pois bem, não tenho a menor dúvida de que escolhemos a capela mais bacana. Para nós, foi tudo perfeito, do início ao fim! Existe a possibilidade de ser apenas uma cerimônia, ou que o casamento tenha validade, que foi a nossa opção.

A CAPELA
Primeiro passo, escolher a capela. Nós optamos pela Chapel Of The Flowers -   http://www.littlechapel.com/ e a partir da escolha, entramos em um chat com atendimento personalizado on line, com um pessoa definida para ser o seu atendimento e contato durante toda a negociação. Durante uns três meses entravamos no site, falávamos pelo chat e recebíamos e-mails, quase diariamente, sobre nossas escolhas, alternativas e possibilidades. Existem pacotes e opções para tudo e para todos os bolsos!



O VESTIDO
Como a primeira parte da minha viagem seria a trabalho, eu estaria em congresso durante quatro dias antes do casamento, precisava deixar tudo o mais acertado possível, não podia correr o risco de me aventurar. Então, decidi que levaria uma malinha de mão garantindo que chegaria lá com no mínimo meu vestido e os sapatos do casamento. Claro que estamos falando de Las Vegas, onde tudo é possível, mas noiva é noiva em tudo o que é lugar e precisa de um mínimo de segurança para certas coisas. Nos sites das capelas é possível encontrar ofertas de aluguel de vestidos no próprio local, mas decidi garantir o meu por aqui. Como não faria uma festa depois da cerimônia, deixamos para escolher um pub lá mesmo, pra comemorar com os amigos, optei por um vestido simples e curto, porque imaginei que me sentiria mais à vontade no resto da noite... E não poderia ter feito melhor escolha, o calor em maio era de matar!



O CASAMENTO
Então, tudo pronto! Tínhamos vestido, sapatos, terno, alianças, estava tudo acertado com a capela... Depois da chegada do Ale em Las Vegas, que foi alguns dias depois de mim, fomos juntos ao Marriage License Bureau, que é como um cartório no Brasil, onde levamos nossos documentos e casamos. Na verdade só me dei conta de que casamos aquela tarde, porque assim como no Brasil, tinham casais a rigor, casando naquele momento mesmo. Pra falar a verdade, não tinha mais pensado nisso até agora... Hahaha! Casei e nem percebi. Depois disso, tivemos que ir à capela, para levar esta documentação toda e fechar algumas pendências da noite da cerimônia, como horário que a limusine nos buscaria no hotel, quem iria junto, pacote extra de fotos, conhecer a capela, essas coisas... Parece que vai ser simples, mas é um montão de coisas, cheio de detalhes e escolhas a todo momento, mas que é muito bem conduzido e orientado pela equipe que atende os noivos. Nesta manha em que estivemos na capela, durante estes últimos acertos, decidi contratar cabelo e maquiagem, que a principio faria sozinha e garanto que foi uma das melhores escolhas que eu fiz, foi ótimo. No horário marcado estava na porta do meu quarto um maquiador / cabelereiro muito competente que me perguntou sobre referencias do que eu queria, trocou ideias, sugeriu me deixou muito satisfeita, segura e feliz!

A CERIMÔNIA
O casamento estava marcado para as oito horas, então às sete e meia uma limusine branca, enorme, com capacidade para dez pessoas e linda, estava no local marcado, no hotel, para nos buscar e nos levar à capela, junto com nossos pais, padrinhos e amigos. Ao chegarmos lá, fomos levados a uma salinha onde fomos orientados de como seriam os procedimentos da cerimonia, fotos e filmagem, enquanto nossos convidados eram conduzidos à capela. A cerimônia é rapidinha, a nossa durou no máximo onze minutos e depois mais uma meia hora daquele momento fotos dos noivos, e nós estávamos loucos para comemorar com os amigos!

A TRANSMISSÃO DA CERIMÔNIA – MUITO IMPORTANTE!
Independente de qualquer que seja o pacote, por mais simples que seja, o que não pode ficar de fora é a transmissão ao vivo, on-line. Convidamos todos os nossos amigos por e-mail e através de um evento que criamos no facebook, com direito a convite e tudo, para que todos no Brasil pudessem assistir a cerimônia e estar conosco naquele momento e foi muito bacana. No convite explicamos como seria, passamos o endereço, o horário nos EUA e no Brasil, pedimos que tirassem fotos e nos mandassem depois, para que pudéssemos ter o registro da presença de todos no nosso casamento. A exemplo do que tínhamos lido sobre a experiência de que já tinha vivido isso, tomamos o cuidado de pedir um ministro que falasse espanhol e não inglês, pra facilitar o entendimento dos parentes e amigos. No final da cerimônia paramos, mandamos beijo e “tchauzinho” para a câmera, em um gesto de agradecimento pela “presença” de todos!

A COMEMORAÇÃO
Tínhamos um grupo muito eclético e heterogênio, estávamos entre desessete pessoas e entendemos que escolher um pub seria a melhor opção. Então reservamos uma mesa enorme no Public House, que fica dentro do hotel The Venetian -http://www.venetian.com/Las-Vegas-Restaurants/Casual-Dining/public-house/.
Tenho que deixar registrado, que depois de tudo isso, paramos o cassino. Em meio ao saguão entre o pub e o salão de jogos, em frente a uma casa noturna, cheia de gente, parei para jogar o buquê para as convidadas e a liga (sim, eu ainda vestia uma pequena liga na perna, por baixo do vestido exatamente para isso, afinal de contas, estava em Las Vegas), para os convidados. Imaginem a reação do público, que estava “passando”, ao viver tudo isso conosco? Entraram na festa, contaram junto conosco, fizeram fotos e ainda posaram para as nossas!
Depois disso tudo, alguns de nossos convidados ainda nos acompanharam a uma balada que fica dentro do hotel MGM Grand Hotel e Cassino http://www.mgmgrand.com/ em uma casa noturna chamada Hakassan -  http://hakkasanlv.com/ .

DEPOIS DO CASAMENTO
No dia seguinte, de volta a capela, para escolher as fotos! Sim, loucos pela continuação da viagem e para ficar com os amigos, voltamos à capela para escolher as fotos, buscar o dvd da cerimônia e acertar ainda alguns detalhes de envio de ampliações e documentos do casamento.

Bom, só me resta repetir, que a experiência foi incrível e inesquecível, que não hesitaria em fazer tudo de novo. Talvez com mais empenho, cuidado e aproveitamento dos detalhes, mas como eu disse, minha viagem começou a trabalho e estávamos entre muitas pessoas, então era exatamente aquilo que se diz “tudo junto, ao mesmo tempo, agora”. De qualquer maneira, a qualquer um que esteja na dúvida sobre viver um casamento em LV, como noiva, madrinha, ou apenas convidada, tenho certeza de que só há uma resposta: não hesite, vá!

Beijo grande, g.















Achou o máximo a experiência da Ge e do Ale e quer uma ajudinha pra organizar tudo?
O Sempre Noiva tem uma parceira super bacana com a Continente HoneyMoon.
Uma empresa especializada em Destinantion Weddings. Clica aqui para saber mais! 

Compartilhe: Tweet This ! Share On Facebook !
Curta:

0 comentários:


Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Sempre Noiva © Copyright 2012
Design por Delikka